Meu Dente Quebrou. E agora doutor?

21.09.2017

Meu dente quebrou. E agora doutor?

Essa é uma daquelas situações que não desejamos para ninguém, não é? Pensando bem, acho que até desejamos sim...para algumas pessoas. Alguns lá de Brasília...

Brincadeiras à parte, vamos às soluções desse problema. 

 

 

Nessa imagem que vemos ao lado é a pior condição possível, você não acha? O dente da frente, justamente aquele que aparece mais, teve uma fratura da coroa por acidente. 

Explicando um pouquinho o que vemos, a fratura aqui foi da coroa (parte do dente que aparece). Ela pode cair totalmente, ou pode ficar presa à raiz, nesse caso ficaria com bastante mobilidade. 

A fratura pode ainda ser à nível de coroa ou de raíz. Mas vou explicar melhor.

 

 

 

 

O que pode levar um dente como esse a quebrar?

 

Podem ser vários fatores, ou um único fator. Vou enumerá-los, veja se você entende:

 

  • cárie extensa ou profunda

  • presença de material restaurador extenso

  • presença de pino no interior do canal (canal tratado)

  • tratamento de canal (enfraquece o dente)

  • trauma (algum acidente com uma pancada forte no dente sadio)

 

O que pode acontecer com a minha gengiva se o dente quebrar?

 

 

 

Depende do tipo de fratura. Se a fratura acontecer somente na coroa, ou seja, do que está para fora da gengiva, a mesma não sofrerá nenhum dano. Nesse caso haveria comprometimento da gengiva se a pessoa não procurar logo um profissional para resolver o problema, e o que acontece é a gengivite. 

Se a fratura acontecer no nível da raíz, temos um problema com a gengiva, pois ela sofrerá pressão negativa do fragmento. Isso quer dizer que o pedacinho do dente quebrado ficará "pendurado" na gengiva. Isso causa um pouco de dor, quando você tentar remover o dente fraturado. 

 

 

O que acontece com o osso se o dente quebrar?

 

Novamente, depende. Para que o osso alveolar fique comprometido, a fratura deverá ser a nível de raíz e com trauma envolvido. Ou seja, com uma pancada na região. Geralmente acontece em acidentes automobilísticos. Nesse caso o osso alveolar pode sofrer fratura também e a extensão e o dano dependem do trauma. 

 

O que faço num caso de fratura do meu dente?

 

Bom, vamos lá. Para cada caso de fratura, vou apontar uma solução possível.

 

1. Fratura somente da coroa (parte do dente que aparece ou fica para fora da gengiva)

 

A possibilidade de salvar dente é bem grande. Seu dentista precisará somente pedir uma radiografia para avaliar o canal, se ele foi ou não afetado. Ou se ele já foi tratado. Independente disso a solução quase sempre é fazer uma coroa total protética. Ou seja, um dentinho artificial. O material pode ser em porcelana com metal (metalocerâmica) ou porcelana pura ou zircônia ( mais estética). 

 

 

 

2. Fratura a nível de raíz (coroa e raíz envolvida).

 

Quase sempre nesse caso, não é possível salvar o dente. Ou seja, precisa removê-lo. As técnicas para remoção são variadas. Se você procurar um especialista em Implantodontia com experiência, com certeza, vai tratar a extração dentária com muita delicadeza. Pois o que se busca aqui é  a PRESERVAÇÃO ALVEOLAR . Mas o que é isso? Seria um conjunto de técnicas visando preservar as

paredes ósseas ao redor da raíz, para não perder volume. Quando isso é conseguido, temos SUCESSO. Ou seja, O IMPLANTE DENTÁRIO, que será inserido no local, será bem posicionado e o dente ficará muito bonito e natural. Mas se não houver cuidado na remoção desse dente, ou mesmo, se houver perda óssea no momento do trauma, haverá perda óssea. O IMPLANTE DENTÁRIO que será inserido no local, pode ficar numa posição não tão favorável à estética. Em outras palavras, o dente sobre o IMPLANTE, ficará diferente dos demais. Se for na região da frente, isso fará muita diferença, não?

 

LEVEI UMA PANCADA, MEU DENTE FICOU MOLE MAS NÃO CAIU

 

Nesse caso a fratura também pode ter ocorrido. O que acontece é que dependendo da fratura, ou de como foi o trauma, pode ser sido no sentido longitudinal do dente. Ou seja, o dente partiu de cima a baixo. Como na figura acima. O dente não irá soltar. Mas o processo inflamatório estará instalado. E a infecção é certa. Você terá edema, dor e até fístula. (bolinha de pús na gengiva). Veja como pode ficar na figura abaixo. 

 

Qual seria a solução aqui?

 

O implante dentário seria a melhor indicação, sem dúvida. Mas para seguir com esse tratamento, muitas coisas precisam ser analisadas. Não seria só extrair o dente comprometido e já colocar o implante. 

Parto do pressuposto que você gostaria de ter seu dente tal como era, antes de perdê-lo. 

Então o planejamento correto e criterioso precisa acontecer. 

 

E se por acaso isso já aconteceu com você há um certo tempo, não tem mais jeito?

 

Tem sim. A solução é, primeiro, procurar um especialista. Na consulta de avaliação será solicitado uma tomografia computadorizada. Você deverá então fazer o quanto antes. Quanto mais o tempo passa, maior será a perda óssea. Se no resultado da tomografia, der perda óssea, não se apavore, tem técnica para repor o osso perdido. NÃO FAÇA IMPLANTES SOMENTE COM A RADIOGRAFIA PANORÂMICA. É uma segurança para você mesmo. Se você quer economizar, pense em poupar dinheiro com outra coisa. Aqui é dor de cabeça na certa. Veja aqui porque fazer implante dental só com panorâmica não basta.

 

 

 

 

 

 

 

    

 

 

 

 

 

 

implantes sem cortes, implantes dentais, implantes dentários.

Please reload

Em destaque

Conheça os Implantes Dentários Rápidos

November 8, 2019

1/10
Please reload

Mais recentes
Please reload

ENDEREÇO

Rua Domingos André Zanini, 277 Sala 408

São José, SC - Brasil

Centro Empresarial Terra Firme

(Em frente ao Shopping Itaguaçu)

48 3223-0311 / 98413-4579 whatsapp

  • Facebook Implantes & Sorrisos
fale com dr douglas lima

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

 

 

Seg-Sex: 8h30min-19h00min

somente com hora marcada

© 2019 por DOUGLAS LIMA